Páginas

domingo, 31 de agosto de 2014

Mobilidade em estudo na capital

A Prefeitura de Porto Alegre estuda um projeto proposto pelo grupo Mobicidade para o favorecimento da circulação de pedestres em três ruas do Centro Histórico: Marechal Floriano Peixoto, Doutor Flores e Vigário José Inácio. A ideia é aumentar o espaço para a caminhada, identificado com a pintura no asfalto, remoção de obstáculos e organização do trânsito em geral. “As calçadas nessa região são antigas e muito estreitas e as pessoas acabam caminhando em meio aos carros, pois tem muito varejo na região”, destaca o secretário adjunto de Desenvolvimento e Assuntos Especiais, Glênio Bohrer. 

Segundo o coordenador do Mobicidade, Marcelo Kalil, nessas ruas o fluxo de carros é incompatível com o espaço. “Nos espelhamos no que foi feito na Times Square em Nova Iorque, que inclusive aumentou as vendas nas regiões”, conta. O projeto foi criado em parceria com o escritório de Arquitetura 0E1. Em abril, a proposta foi entregue à prefeitura. “Já há planos para a revitalização do Centro Histórico, mas há muitas divergências, pois a administração municipal sempre prioriza o uso de automóveis, quando queremos incentivar outras formas de transporte”, ressalta Kalil. 

Rua Marechal Floriano no projeto "Mobicidade"

sábado, 30 de agosto de 2014

Começou a Expointer


A 37ª edição da Expointer, em Esteio, foi aberta na manhã deste sábado com a expectativa de que as metas de comercialização de 2013 sejam batidas neste ano. Pelo menos é nisto que o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, acredita quando declarou aberta a feira localizada no Parque de Exposições Assis Brasil. 

Acompanhado de diversas lideranças do agronegócio gaúcho, Tarso esteve presente no pavilhão internacional para realizar o tradicional corte da fita, ato que marca o início da Expointer. O governador fez um balanço geral da economia e do agronegócio gaúcho e salientou que o número de 3,2 bilhões em comercialização não pode apenas ser alcançado, como superado em 2014. 

"Esta Expointer revela um resultado de profunda transformação. Revela a articulação do governo com os agricultores, pecuaristas e entidade. Será a Expointer da qualidade, da agricultura, pecuária. É a síntese de um esforço comum entre o governo e a sociedade civil", disse Tarso. 

O governador ainda comentou que o agronegócio tem condições de alavancar a economia do Rio Grande do Sul. "Sempre pensei no setor primário não como um problema, mas como um fator de equilíbrio. Quando a indústria passa por uma crise mundial, o setor primário responde. A agricultura camponesa é promissora e irá permitir que o Estado cresça o dobro do Brasil", declarou. 

Na 37ª edição da Expointer, 4.932 animais estão inscritos, representando 167 raças. O total é inferior ao do ano passado. “Um pouco menos em quantidade, mas não em qualidade comercial”, disse o subsecretário do Parque de Exposições Assis Brasil, Adeli Sell. 

Embora muitas das obras prometidas para este ano não tenham sido concluídas a tempo, a feira conta com novidades. Uma delas é o acesso pela BR 448 (Rodovia do Parque), que pela primeira vez será utilizado para chegar até a Expointer. Outra novidade são os terminais de autoatendimento para a compra de ingressos, disponível para quem irá utilizar o cartão de débito. 

Ingressos

Pedestre: R$ 12

Estudante: R$ 5 com apresentação de: Carteira oficial de estudante da UNE (ensino superior), UBES (ensino médio ou fundamental), UGES. Carteira expedida por estabelecimentos de ensino médio ou associação, ou agremiação de estudante a que pertencem (ensino médio e superior) Carteira de passagem escolar

Idosos: R$ 5 para igual ou maiores de 60 anos com a apresentação da Carteira de Identidade.

Crianças com até 6 anos têm acesso livre se acompanhadas.

Entrada de Pedestres pelos portões 02 e 06 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Avó de Bernardo desconhecia ambiente de intrigas e ameaças


A avó materna de Bernardo, Jussara Uglione, afirmou nessa quinta-feira que não tinha conhecimento do ambiente de intrigas, ameaças e constantes assédios sofridos pelo neto na residência dos Boldrini. “Eu não sabia que esse tipo de situação se passava na casa”, revelou, emocionada. Após assistir a uma gravação recuperada por técnicos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) do celular do médico Leandro Boldrini, no qual Bernardo grita por socorro após discussão com a madrasta Graciele Ugulini e o pai, Jussara diz ter ficado extremamente abalada.

A pedido dela, o advogado Marlon Taborda utilizará essa gravação e os demais vídeos recuperados pelo IGP para pedir a reabertura do inquérito policial da morte da mãe do menino, Odilaine Uglione, em 2010. Em um dos vídeos, a madrasta ameaça Bernardo dizendo que ele terá o mesmo fim da mãe. “Vamos pedir a reabertura do caso”, apontou Jussara. Na época, a investigação concluiu que Odilaine cometera suicídio no consultório de Leandro.

Taborda havia solicitado o desarquivamento do caso da mãe após a morte do menino. O pedido foi negado pelo juiz Marcos Agostini, da Comarca de Três Passos, em 28 de julho. “Existe um jargão popular que diz que o diabo faz a panela e não faz a tampa. Leandro queria gerar uma prova de defesa, mas fez uma prova para o outro lado”, disse o advogado.

Num dos vídeos (com trechos transcritos ao lado), a mãe de Bernardo é um dos motivos da discussão entre ele, o pai e a madrasta. “Ah, Bernardo, eu fico com pena de ti… Tua mãe te botou no mato. Deus o livre. Te abandonou”, afirmou Leandro, quando o menino revidou: “E tu traiu ela!”. Graciele então defende o marido, dizendo para Bernardo: “Então pergunta para as pessoas o que tua mãe fazia com teu pai”. Leandro lembrou que a ex-mulher foi ao consultório com uma arma: “O que ia acontecer comigo?”. E o filho respondeu: “Tinha que ter matado mesmo!”. Graciele interveio novamente: “Tu vai ir antes. Doente que tu está desse jeito… Igual a tua mãe. Teu fim vai ser igual o da tua mãe”.

Transcrição: Trechos de um dos vídeos recuperados por técnicos do IGP:

Bernardo: Socorro! Meu pai vai me agredir. Socorro! Socorro! Socorro! Socorro! Socorro! Socorro! Socorro! Não! (...) Eu quero denunciar, empresta o telefone, eu quero denunciar vocês! Empresta, quero denunciar! (...)
Leandro: Quem que começou a bagunça?
Bernardo: Vocês me agrediram, tu me agrediu.
Graciele: E vou agredir mais. A próxima vez que tu abrir a boca para falar de mim, eu vou agredir mais.
Leandro: Xingando ela. Ninguém merece ser xingado, né, rapaz.
Graciele: Eu vou agredir mais, eu não fiz nada em ti.
Bernardo: Fez sim. Tu me bateu.
Graciele: (...) Eu não tenho nada a perder, Bernardo. Tu não sabe do que eu sou capaz. Eu prefiro apodrecer na cadeia a viver nesta casa contigo incomodando. (...)
Bernardo: (inaudível) Queria que tu morresse. (...)
Graciele: É, vamos ver quem tem mais força. Vamos ver quem vai para baixo da terra primeiro.
Bernardo: Tu. Tu vai... (...)

Relembre o caso

Bernardo, de 11 anos, desapareceu em 4 de abril, em Três Passos, e teve o corpo encontrado na noite do dia 14, em Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens de um rio. Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta Graciele Ugulini, admitiu o crime e apontou o local onde a criança foi enterrada.

O pai do menino, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Motoristas se irritam com manifestações em Porto Alegre


Os dois protestos contra reintegração de posse em Porto Alegre seguem causando transtornos no trânsito da Capital nesta quinta-feira. A situação mais conturbada é registrada na avenida Assis Brasil, na zona Norte, onde mais de 100 manifestantes dificultam o acesso à cidade. Irritados, alguns motoristas ameaçaram passar por cima do grupo que luta contra reintegração de posse e deseja uma reunião com o presidente do Tribunal de Justiça (TJ). O encontro já teria sido marcado para a próxima quarta-feira, às 16h, mas o bloqueio segue porque não há a confirmação da audiência com o desembargador José Aquino Flôres de Camargo.

Apesar do bloqueio, os manifestantes liberam as vias por cerca de cinco minutos para a passagem dos veículos. Mesmo assim, um princípio de confusão foi registrado na avenida Assis Brasil, quando um motorista que está preso no trânsito desceu do carro e foi tirar satisfação com os manifestantes. Ele se apresentou como policial e procurou saber o motivo do protesto. 

O congestionamento atinge a freeway, na saída de Porto Alegre, e vai desde o entroncamento com a BR 116 até a divisa com Cachoeirinha. No sentido de acesso à Capital, o problema semelhante, onde o trânsito está parado desde a ERS 010, dentro de Cachoeirinha, passando pela BR 290 até a avenida Castelo Branco. 

O representante de uma das 27 ocupações de Porto Alegre Pablo Lipert explicou que o objetivo é conseguir um prazo de três meses para a saída dos moradores das regiões ocupadas. "Nós queremos também a criação de uma vara especial para conflitos urbanos. O pessoal está organizado para buscar isso. Não adianta um juiz de 1ª grau sair dando liminar para todos sem nem conhecer a matéria ou sem conhecer o processo. Isso envolve milhares de pessoas", relatou Lipert, mora no Parque dos Maias.  

Lipert comentou ainda que alguns juízes já despacharam multa para a Brigada Militar (BM) pelo não cumprimento da reintegração de posse. "Isso não pode acontecer. O nosso último recurso é colocar as pessoas na rua e fazer uma manifestação pacífica. Aguardamos apenas uma ligação do advogado confirmando a audiência com o presidente do Tribunal de Justiça", acrescentou.    

Enquanto a manifestação bloqueia a avenida Assis Brasil, um segundo protesto ocorre na avenida Borges de Medeiros, em frente à sede do Tribunal de Justiça. Três representantes dos manifestantes se reuniram com o vice-presidente do TJ, desembargador Francisco Moesh, para confirmar a data da audiência com presidente do órgão, José Aquino Flôres de Camargo.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Candidato à presidência da República pela primeira vez, Aécio Neves tem 54 anos e é economista.

Em entrevista exclusiva, concedida à Associação dos Diários do Interior do Brasil e Centrais de Diários do Interior (ADI-BR/CDI), o candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, fala sobre planos para o desenvolvimento dos municípios.
A agenda da ADI-BR/CDI prevê entrevistas com a candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, e com a candidata do PSB, Marina Silva. As datas para publicação ainda não foram definidas.
"Não faz sentido cada decisão do país, por mais local que seja ser tomada em Brasília"
Candidato à presidência da República pela primeira vez, Aécio Neves tem 54 anos e é economista.




Foi governador de Minas Gerais por dois mandatos e, atualmente, é senador pelo estado. Número 45 da urna, é o presidente nacional do PSDB. Exerceu por quatro mandatos o cargo de deputado federal, chegando à Presidência da Câmara dos Deputados em 2001. Terminou seu segundo mandato no governo de Minas Gerais com 92% de aprovação. Nesta entrevista exclusiva feita pela Associação dos Diários do Interior do Brasil e Centrais de Diários do Interior (ADI-BR/CDI), ele fala sobre suas principais metas para o país caso seja eleito presidente, dando ênfase ao setor econômico: "Com o PSDB, é tolerância zero com a inflação." Seu candidato à vice-presidente é o senador paulista Aloysio Nunes Ferreira, também do PSDB.
ADI- O Brasil possui 5.570 municípios. Cerca de 80% deles têm população igual ou inferior a 30 mil pessoas. O que prevê para as pequenas e médias cidades brasileiras?
Aécio
 - Defendo a refundação da Federação no Brasil, reestabelecendo as condições de estados e municípios enfrentarem suas dificuldades e retomarem a capacidade de investimentos em áreas essenciais à população, como saúde, educação, transporte público. É preciso descentralizar a tomada de decisões, levando a solução do problema para perto de onde ocorre, com reconhecimento do papel fundamental de estados e municípios. Não faz sentido cada decisão do país, por mais simples e local que seja, ser tomada em Brasília. O governo federal não deve fazer aquilo que é possível ser feito pelos Estados, que não devem se responsabilizar pelo que pode ser feito pelos municípios. É claro que isso passa por uma redistribuição de recursos, hoje fortemente concentrados em Brasília. Não tenha dúvidas de que os municípios terão maior protagonismo na erradicação da pobreza e na criação de vagas de pré-escola, sempre com nosso apoio.
ADI - Recentemente, houve a aprovação do aumento no valor do FPM no Senado Federal. No entanto, a Confederação Nacional dos Municípios continua a fazer mobilizações para aumento dos recursos municipais, principalmente com a revisão do Pacto Federativo. Como você vê a questão do Pacto Federativo e, em sua opinião, qual o principal ponto a ser revisto?
Aécio
 - Quero governar um país que não seja de uns contra outros, quero governar um país que seja de todos, um país inclusivo, em que todas as regiões sejam valorizadas nas suas potencialidades. Como você disse, aprovamos recentemente no Senado Federal a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que garante 3,8 bilhões de reais para municípios em investimentos, após grande pressão em contrário da base governista.
As perdas nos fundos de participação de estados (FPE) e municípios (FPM) nos últimos anos foram muito agressivas. Por isso mesmo, sou autor de PEC que estabelece o ressarcimento aos municípios que sofrem prejuízos causados por isenções fiscais concedidas pelo governo federal. Iniciado o próximo governo, essa será uma das nossas prioridades no Congresso, no âmbito da agenda da federação, um conjunto de medidas que garante o fortalecimento de estados e municípios, que inclui ainda uma profunda renegociação da dívida dos estados, para que os entes federados possam eles próprios encontrar condições de melhorarem a saúde, de melhorar a segurança, melhorar a educação da sua gente.
ADI - A necessidade de uma reforma tributária é assunto recorrente. O que, de fato, será feito por você nesse sentido?
Aécio
 - Uma das primeiras medidas do governo será a apresentação de um projeto de simplificação do sistema tributário, focando no emaranhado de impostos indiretos. O objetivo é atacar a alta carga tributária e melhorar a própria estrutura de pagamento desses impostos, que é extremamente onerosa. Será criada uma Secretaria Extraordinária para simplificação do sistema tributário, que terá prazo para a apresentação de um projeto ao Congresso. Esse é o primeiro passo para que possamos fazer uma reforma tributária.
ADI - E quanto à reforma política?
Aécio
 - A reforma política é uma necessidade do Brasil porque é ela que ordenará as forças e as representações partidárias, estabelecendo um novo ambiente político no país e dando início ao verdadeiro debate sobre as reformas estruturantes, como a tributária. A reforma política será uma das primeiras medidas adotadas em 2015 em um eventual governo do PSDB. Defendo três pontos claros para ela.
O primeiro é o retorno da cláusula de desempenho para os partidos, o que reduziria o atual quadro de 22 partidos funcionando no Congresso para sete ou oito legendas. O segundo ponto é o voto distrital misto com lista partidária. Assim, metade do Parlamento é eleita por distritos, nos quais se terá uma relação direta do representado com o representante. A outra metade das vagas viria da votação em listas partidárias, onde representantes de segmentos de pensamento que não tenham base territorial eleitoral possam participar do debate. E, por fim, defendo o fim da reeleição, com mandato de cinco anos para todos os detentores de cargos públicos. Quatro anos para trabalharmos e um ano de eleição.
ADI -Nos últimos anos, o governo federal investiu pesadamente na área social, mas o Brasil ainda tem uma grande população em situação de pobreza. Como você lidará com a área social nos próximos anos? Programas como Bolsa Família terão continuidade? Se sim, como podem ser aprimorados? Se não, por que não deve ter continuidade?
Aécio
 - Os programas sociais serão mantidos e aprimorados. Diante da constatação de que a pobreza não é apenas a privação da renda, mas se manifesta também pela privação de serviços, como de saneamento,  de educação, saúde e de oportunidades, criaremos o Programa Família Brasileira. O programa classificará as famílias em condição de privação em cinco níveis, onde o cinco é o mais grave, pois se refere a uma família que enfrenta um conjunto de privações. O nosso objetivo é que essa família tenha uma progressão gradual para que fique mais de um ano no mesmo nível.
ADI - No último mês, o Brasil foi chamado de "anão diplomático" pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor. Em 2013, houve o caso de espionagem da NSA. As relações diplomáticas brasileiras vivem um período de crise?
Aécio
 - O Brasil sempre se caracterizou por ter uma política externa do equilíbrio, e é isso que deve retornar a conduzir a nossa ação, as nossas manifestações. O Brasil ao longo dos últimos anos optou por um alinhamento ideológico na sua política externa, e é ele que conduz as principais ações do governo, a meu ver, com prejuízos graves ao Brasil. O Brasil precisa voltar a exercer a efetiva liderança e a influir de forma positiva no cenário regional e multilateral. Nos últimos anos, foram firmados apenas três acordos internacionais pelo governo. O trabalho do Itamaraty deverá voltar a ter como meta apenas o interesse nacional, acima de ideologias e de plataformas de partidos políticos. As grandes transformações globais, regionais e no Brasil colocam novos desafios para a política externa nas relações bilaterais, regionais e nos fóruns multilaterais. A política externa tem de contribuir para o desenvolvimento econômico do país, ajustando-se aos novos desafios internos e externos para o Brasil voltar a se projetar no cenário internacional.
ADI - No caso de sua eleição, qual o principal plano para a retomada do crescimento econômico?
Aécio - A vitória do PSDB é um sinalizador claro de que teremos um ambiente muito mais propício à retomada do investimento do que se ficar o atual governo. Será feito um esforço em conjunto da sociedade brasileira para se adotar regras claras, trabalhar a política econômica com transparência, fortalecer o tripé macroeconômico (câmbio flutuante, superávit primário e meta de inflação). A diminuição do custo Brasil, com a simplificação do nosso sistema tributário, é prioritária e haverá um grande choque de investimentos em infraestrutura. Vamos saltar de uma tacada de investimentos hoje, em torno de 18% do PIB, para no final do próximo mandato chegar próximo de 24% do PIB.
ADI- Qual a sua estratégia para manter a inflação sob controle?
Aécio
 - Vamos voltar a mirar o centro da meta de inflação de 4,5% e, uma vez atingido esse objetivo, vamos reduzir gradualmente as bandas de tolerância que hoje estão em 2 pontos percentuais. Com o PSDB é tolerância zero com a inflação.

ADI - Em apenas duas linhas, resuma sua prioridade em:
Infraestrutura 
- É preciso modernizar, dar maior eficiência e capilaridade à infraestrutura brasileira para promover o crescimento econômico e a melhora da qualidade de vida da população. O objetivo é investir mais e melhor.
Educação - O grande desafio do país nos próximos anos será garantir a qualidade da educação. O desafio inclui a universalização da educação básica dos 4 aos 17 anos e grande esforço em direção à ampliação do aprendizado.
Saúde - O fortalecimento do SUS será a permanente prioridade do governo na área da saúde.
Segurança - Uma política nacional de segurança, coordenada pelo Ministério da Segurança Pública e Justiça. Vamos por fim também ao contingenciamento dos fundos de segurança.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Tchê, rodovia bloqueada hoje!


O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informaram que a ponte sobre o rio Uruguai - divisa de Iraí (RS) e Palmitos (SC) - será bloqueada a partir das 17h desta terça-feira, em definitivo, até a conclusão das obras. 

Técnicos do Dnit, vindos de Brasília, estiveram na ponte e constataram um problema grave num dos pilares, o que compromete a estrutura. Segundo o Dnit, a ponte será bloqueada para todos os veículos até o final do próximo mês de novembro, quando as obras de recuperação deverão estar concluídas.

Ainda conforme o Dnit e a própria PRF, diante dos problemas na estrutura, caso continuasse a passagem de caminhões, a ponte poderia cair, a exemplo do que aconteceu com a ponte de Agudo, quando ocorreu uma enchente. Lá também havia problema num dos pilares.

Barreiras de pedra e terra serão colocadas nas duas extremidades da ponte, bloqueando totalmente a passagem de veículos. Com isso, além dos caminhões, também os demais veículos terão que buscar rotas alternativas para chegar a Santa Catarina e no sentido contrário, ao Rio Grande do Sul.

Há dois meses uma empresa realiza obras de recuperação da ponte. A estrutura começou a apresentar problemas ainda no ano passado. A passagem de todo o tipo de veículo, inclusive caminhões com carga de até 20 toneladas, será permitida somente até a tarde desta terça-feira. 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Expointer já movimenta o interior do estado



A partir desta segunda-feira (25) os animais que ficarão expostos na 37ª edição da Expointer já poderão entrar no Parque de Exposições Assis Brasil em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Conforme a organização, às 7h uma equipe de técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio estará à disposição dos expositores para os primeiros procedimentos. A feira de agronegócios abre no sábado (30) e dura nove dias.

Os caminhões serão recepcionados no portão oito. Em seguida, os animais serão identificados através de sua documentação e liberados para os pavilhões. Já os pequenos animais (aves, coelhos e chinchilas) serão recebidos diretamente no pavilhão destinado a esse grupo, onde também serão identificados e examinados. A feira terá 4,9 mil animais entre bovinos, ovinos, equinos, suínos, aves, caprinos, entre outros.

Na sequência, o secretário da Agricultura, Claudio Fioreze, inaugura o novo lavadouro de animais, localizado em frente ao pavilhão do gado de corte, junto à pista central. O valor do investimento é de R$ 219.182,64. Após isso, o secretário faz a entrega simbólica das credenciais para as entidades promotoras da feira.

Nos demais dias, os plantões de recepção iniciam às 6h e encerram-se à meia noite. A chegada dos animais destinados aos julgamentos seguirá até a sexta-feira (29).

domingo, 24 de agosto de 2014

2 mil pinguins mortos no nosso litoral!

É preciso criar consciência ambiental. Começando por jogar lixo no lixo, já que sacolas plásticas foram encontradas no estômago dos bichinhos!
Tchê somos um povo extremamente educado, todos somos bons de discurso, mas precisamos, e me incluo nisso, colocar em prática o que lemos na teoria! Afinal, somos habitantes deste planeta, e um dia vai ter tanto lixo, que nós mesmos vamos morar dentro dele... É só fazer as contas...

O número de pinguins encontrados mortos no Litoral Norte gaúcho vem assustando os pesquisadores. Desde 2012, o Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) monitora sistematicamente a praia de Imbé até o município de Tavares para estudar os padrões de mortalidade dessas aves. Segundo o Ceclimar, em 2012, 1,2 mil pinguins foram encontrados mortos. Em 2013, o número subiu para 1,7 mil e, desde o início deste ano, já foram localizados 1,8 mil.

Segundo o biólogo e vice-presidente do Ceclimar, Ignacio Moreno, os pinguins recebem identificação para que seja evitada a contagem dobrada. Ele explica que há dois fatores que podem ter ampliado o quadro de mortes: a seleção natural e a elevação da quantidade de plásticos no mar, material encontrado no estômago dos pinguins. Além desses fatores, o fenômeno El Niño altera as correntes marítimas e a temperatura dos oceanos. De acordo com Moreno, também estão sendo encontrados muitos pinguins enrolados em linhas de pesca.

A morte de tartarugas é outra preocupação dos pesquisadores. Conforme o biólogo, 90% das tartarugas estão muito magras e as encontradas mortas estão com lixo no estômago. A sugestão das instituições de pesquisa é reduzir o consumo de plásticos que acabam indo para a beira da praia.

sábado, 23 de agosto de 2014

Lazer para sábado! Mudanças na estação BikePoa.



A estação do BikePoa que ficava situada na Praça da Matriz, Centro Histórico de Porto Alegre, foi deslocada para as proximidades do Jockey Club, na avenida Diário de Notícias. Segundo a prefeitura, o novo ponto do sistema de bicicletas públicas de aluguel já está em funcionamento. A mudança de local aconteceu após uma solicitação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O sistema de bicicletas compartilhadas BikePoa conta com 40 estações e 400 bicicletas. Os usuários podem se cadastrar no site do BikePoa, em aplicativos para smartphone (iPhone e Android) ou por celular convencional, via portal de voz, ligando para o fone (51) 4063-7711. O valor do passe mensal é R$ 10 e o diário R$ 5, podendo utilizar o sistema durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. As viagens devem ser realizadas em até uma hora. Após esse tempo, há um intervalo de 15 minutos para possibilitar outras viagens com a mesma ou outra bicicleta. O objetivo é dar rotatividade e manter as estações com bicicletas para todos os usuários.

Funcionamento do aluguel de bicicleas na capital
Para utilizar o sistema de bicicletas públicas de aluguel, o usuário deve informar o número do cartão de crédito. Há três maneiras de habilitar o passe do BikePoa: via celular convencional por portal de voz (fone 51 4063-7711), celular do tipo smartphone (via aplicativos do iPhone e Android) ou pelosite.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Marcha reúne movimentos na luta contra genocídio de negros


Nesta sexta-feira, negros e negras vão às ruas, em protesto para denunciar a existência de um processo de extermínio contra essa população. A 2ª Marcha Internacional contra o Genocídio do Povo Negro está programada para ocorrer em 18 estados brasileiros e em 15 países, segundo a campanha “Reaja ou será morto (a)”, que convocou o ato.

“O que a gente está querendo, por meio dessa retomada das vozes do povo negro e da luta pela garantia da vida, é fortalecer vozes que têm sido brutalmente silenciadas por meio da violência”, diz Andreia Beatriz Santos, integrante da organização Quilombo Xis e da coordenação da campanha "Reaja", que desde 2005 articula negros na luta contra o racismo.

No Brasil, casos como o de Amarildo, Cláudia e DG, todos negros e assassinados no ano passado em situações que envolveram policiais, se multiplicam. Segundo o Mapa da Violência 2014, a vitimização de negros é bem maior que a de brancos. Morreram proporcionalmente 146,5% mais negros do que brancos no Brasil em 2012, em situações como homicídios, acidentes de trânsito ou suicídio. Entre 2002 e 2012, essa vitimização mais que duplicou, segundo o estudo.

Além de denunciar o genocídio, a marcha pretende pautar o que as organizações apontam como seletividade do sistema prisional. No Brasil, “as pessoas criminalizadas ou privadas de liberdade são, sobretudo, pessoas negras”, lembra Andreia. De acordo com dados de 2013 do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, das 537.790 pessoas que estão no sistema penitenciário, 93,92% são homem, 50,88% têm entre 18 e 29 anos e 57,21% têm pele de cor negra ou parda. Cruzando os dados, os números apontam que a maior parte dos presos no Brasil é formada por homens e pretos.

Neste ano, o tema da marcha – A Luta Transnacional contra o Racismo, a Diáspora Negra contra o Genocídio – destaca o caráter internacional dos problemas e reivindicações. “Não é uma situação só nossa”, já que o racismo decorre da escravidão negra, que foi usada em vários países, explica a coordenadora da campanha. Exemplo disso, aponta, é a atual situação dos Estados Unidos. Lá, o assassinato de um jovem negro por um policial, no último dia 9, em Ferguson, no estado de Missouri, tem gerado indignação e protestos.

Surgida na Bahia, a campanha "Reaja ou será morto (a)" promove atos anuais desde 2006, quando um rapper e integrante da articulação, Negro Blul, foi executado por grupos de extermínio. A partir de então, a mobilização ganhou outros estados, onde grupos desenvolvem trabalhos visando a ampliar a conscientização e a mobilização dessa população. 

Em 2013, foi realizada a primeira marcha nacional. Apenas em Salvador, mais de 5 mil pessoas compareceram ao ato, conforme a organização. São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre também participaram da mobilização, que agora conta com o apoio de movimentos de outros países. Nesta sexta-feira, a solidariedade será demonstrada por meio de atos em frente a consulados ou embaixadas brasileiras.

Juntos, os movimentos querem dar visibilidade às situações de violência e fortalecer a luta por políticas públicas que garantam direitos, como acesso à educação e à saúde. Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Manaus e Vitória são algumas das capitais que devem receber a marcha ao longo do dia.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Parou tudo!!!


Depois de protesto que bloqueou esquina das avenidas Ipiranga com Érico Veríssimo por cerca de 30 minutos em Porto Alegre nesta quinta-feira, os manifestantes contrários à reintegração de posse no bairro Rubem Berta, saíram em caminhada pelas ruas da Capital em direção à Prefeitura de Porto Alegre.

A marcha chegou à avenida Borges de Medeiros por volta das 8h20min e às 9h ao Largo Glênio Peres, causando transtornos ao transporte público, já que ônibus e lotações não podem desviar a rota, e também aos motoristas desavisados. As filas de trânsito lento se estenderam em direção à avenida Salgado Filho e a avenida Perimetral foi uma alternativa de desvio para desafogar o trânsito.

Reintegração de Posse

O protesto é contra a reintegração de terrono no bairro Rubem Berta, na zona Norte. A intenção das manifestações é evitar a retomada do local, marcada para semana que vem.

De acordo com a representante da Cooperativa Marcos Klassmann, Elisete Vargas, os manifestantes pedem o direito de resposta a um jornal da Capital, que, segundo Elisete, teria denegrido a imagem da comunidade. "Eles denegriram a minha imagem afirmando que sou traficante, homicida e que eu estaria extorquindo os moradores. Se eu estivesse relacionada com isso, eu não estaria sendo apoiada por todos. São 450 famílias envolvidas e não temos para onde ir", afirmou em entrevista à Rádio Guaíba.

Elisete afirmou que a prefeitura ainda não indicou um local alternativo para o deslocamento dos moradores. "É bom deixar claro que nós temos as nossas casas construídas e não são barracos. Não posso dizer que vivemos dignamente porque não temos esgoto, mas conseguimos construir com o nosso esforço", acrescentou. "Muitos fizeram financiamentos para sair do aluguel", explicou.

O terreno no bairro Rubem Berta pertenceria a um grupo de advogados e somente agora foi reivindicado. A ação de reintegração deve ocorrer na próxima semana com o auxílio da Brigada Militar (BM).

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Atenção para quem leva seu filho para a aula!

Motorista de ônibus escolar é flagrado com sinais de embriaguez



O motorista de um ônibus escolar da prefeitura de Santa Vitória do Palmar, no Sul do Estado, foi flagrado na noite dessa terça-feira com sinais de embriaguez na BR 471.

O teste do bafômetro indicou 0,42 mg de álcool por litro de ar expelido e 0,53 mg na contraprova. O coletivo transportava 12 alunos de uma escola municipal. O condutor foi conduzido à polícia e o veículo liberado para motorista habilitado.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Estudo para expansão da Trensurb deve ser entregue até fim do mês


O estudo de expansão da linha da Trensurb até o município de Sapiranga, no Vale do Sinos, deve ser entregue neste mês. Com o prazo inicialmente estabelecido para maio, o novo prazo contratual expira no final de agosto. “A prorrogação se deve a uma questão bastante simples: iniciamos o trabalho de pesquisa de campo e de demanda em novembro. Como dezembro, janeiro e fevereiro são meses atípicos, de férias, tivemos que prorrogar o levantamento até março e abril deste ano, para termos uma amostra mais típica”, explica o superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Ernani Fagundes.

Segundo a Trensurb, já foram elaborados o relatório de caracterização da área da estudo, por meio de uma avaliação da situação atual do transporte coletivo que atende à região, além de levantamentos de dados socioeconômicos da população e seus hábitos de deslocamentos; o relatório de estudo de demanda, em que foram realizadas pesquisas de campo nos veículos de transporte coletivo e individual que circulam pela região e em cruzamentos das principais vias; e o relatório de avaliação ambiental. O estudo está sendo realizado pela Oficina Consultores Associados. O valor da contratação é de R$ 1,49 milhões.

Para a entrega do estudo, ainda falta a elaboração do relatório das diretrizes tecnológicas, que avaliará as alternativas de itinerário, localização das estações e definição da tecnologia ideal para ser utilizada. Conforme a prefeita de Sapiranga, Corinha Molling, até o momento o município não foi consultado para o estudo. “Temos algumas opiniões que poderíamos compartilhar”, diz. Para a prefeita, a chegada do trem a Sapiranga é inevitável. “Promovemos duas audiências públicas em 2013 com a Trensurb, quando discutimos a ampliação até o município. Estamos aguardando novas informações sobre o projeto”.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Caos no Salgado Filho


Após quase uma hora fechado em razão da forte neblina na zona Norte de Porto Alegre, o Aeroporto Internacional Salgado Filho reabriu e opera por instrumentos desde as 7h15min desta segunda-feira. Segundo informações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), dos 23 voos previstos até o horário, nenhum cancelamento foi informado pelas companhias aéreas, no entanto, mais de dez voos sofreram atrasos.

Previsão do tempo
O sol aparece na maior parte do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira. A temperatura estará agradável na maioria das regiões. Durante o amanhecer existe a possibilidade de frio, entretanto a tarde será amena com máximas acima dos 20ºC. Nos locais onde o sol aparece mais cedo, principalmente da Metade Norte, o aquecimento é maior rápido e as máximas tendem a ser mais altas durante a tarde.

domingo, 17 de agosto de 2014

Gasômetro já foi desativado na capital




Da Zero Hora - Os boatos de que a Usina do Gasômetro fecharia rondavam o chão de fábrica em meados de 1973, com a crise dos combustíveis. Quando eles se confirmaram, exatos 40 anos atrás, Luís Carlos Slavutzki sentiu um vazio. Aquele era seu primeiro emprego, aos 18 anos, e explorar o prédio em que o maquinário antigo lembrava a Revolução Industrial era uma diversão. 

A euforia deu lugar à melancolia durante os seis meses que se sucederam à desativação, em 12 de agosto de 1974. Coube a Slavutzki velar o prédio abandonado. Foram 159 dias batendo o ponto diariamente, cinco dias por semana, para ver relíquias transformarem-se em ferro-velho. Ele era uma espécie de supervisor de desmonte.

— Eles ficavam desmontando os equipamentos, e eu explicava como deveriam ser desmontados. Aí, eles pesavam tudo para ser vendido como sucatas — conta.

Naquela época, a Usina estava longe de ser o símbolo de Porto Alegre em que se transformou nos últimos anos. Era só um prédio velho, condenado à demolição para a abertura de uma nova avenida. Já cumprira sua função: desde 1928, abastecera a cidade de energia elétrica, primeiro pela queima de carvão, depois pela queima de óleo.

O que o edifício tinha de valor, em 1974, era o metal dos equipamentos que sobraram — e que renderiam uma boa quantia à mantenedora na época, a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE). Por isso, era necessária a supervisão de alguém de confiança como Slavutzki.


Hoje, aos 59 anos, um dos últimos remanescentes entre os operários que conheceram o prédio em sua função original, ele percorre os corredores rememorando como eram os dias por lá. No intervalo do almoço, costumava pescar à beira do Guaíba, percorrer as tremonhas — espécie de funis que serviam para despejar o carvão — ou admirar a vista do terraço.

Dentre as histórias que Slavutzki ouviu, está a de que, na década de 1950, os misters, como eram chamados pelos funcionários os chefes americanos, usavam o local onde hoje funciona o terraço como quadra de tênis nas horas vagas.

Quando a usina fechou, encerrando uma era na história da cidade, Slavutzki era encarregado da programação da manutenção. A silhueta dele está adornada hoje na porta de entrada do edifício, que virou espaço cultural nos anos 90, depois de passar uma década em ruínas e de salvar-se da implosão graças a uma grande mobilização da sociedade.

A escultura em arame retorcido reproduz a última foto retirada do local antes da desativação, em que Slavutzki aparecia ao lado de 10 colegas. A entrada do espaço carrega uma sutileza artística: coloca lado a lado os trabalhadores de ontem com os de hoje.

Josmeri Pergher Puhl, 49 anos, foi uma das poucas funcionárias do espaço remodelado que pôde vivenciar na prática a mensagem da obra. Ela trabalha desde 1992 como arte educadora, promovendo oficinas no espaço Usina do Papel e também como guia turístico do lugar. Protagonista do novo papel que a usina assumiu na vida da cidade, o de ícone turístico e cultural, ela tirou a manhã de sexta para aprender com Slavutzki sobre a encarnação anterior do edifício e para confirmar histórias que imaginava serem lendas.

— É verdade que os presos do Cadeião (unidade prisional) que funcionava aqui do lado vinham trabalhar na usina?

— Sim, eles vinham, entre 50 e cem, todos os dias. Empurravam o carvão em vagonetas até a parte onde era feito o descarte. O trabalho nas caldeiras era o mais difícil, conta Slavutzki:

— O cara ia subindo a escada para mexer na caldeira e ia pegando fogo embaixo. Tinha que vir um com água para apagar as chamas.

Encerrada a desocupação do prédio, em 1975, Slavutzki evitou o saudosismo, mas achou triste o período de degradação que se seguiu até a restauração, em 1988. Hoje, vendo o lugar um sinônimo de Porto Alegre, ele volta às origens de tempos em tempos, mas como qualquer outro cidadão: para desfrutar de um dos espaços que já não fornece energia, mas continua a propagar luz.

sábado, 16 de agosto de 2014

Brigada militar contém a violência com blitz

Nove pessoas foram presas e um menor apreendido, na madrugada deste sábado, durante a 5ª edição da operação Pré-Sal em Porto Alegre. O principal objetivo da ofensiva foi combater assaltos a postos de combustíveis na Capital.

A Brigada Militar (BM) apreendeu uma arma, 53 g de crack, 56 g de maconha e R$ 1.085. Os policiais fiscalizaram 450 veículos e abordaram 813 pessoas.

Ainda foram realizadas barreiras e patrulhamento para coibir roubo e furto de veículos, tráfico de drogas e porte ilegal de armas.


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O medo de Marina Silva - Peemedebistas gaúchos afirmaram que não votarão em quem é contra agronegócio


Apesar da consternação pela morte de Eduardo Campos, o PMDB gaúcho começa a avaliar os desdobramentos da tragédia. Lideranças peemedebistas de diferentes esferas admitem que a situação é muito delicada, porque consideram que a substituição de Campos (independente de quem seja o substituto) terá consequências diretas sobre a aliança com o PSB no Estado. A principal delas: a dificuldade em manter, na prática, o apoio à chapa presidencial socialista, que já vinha sofrendo a concorrência aberta dos peemedebistas gaúchos partidários de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). O nome de Marina Silva, portanto, não é um consenso. 

Parte do partido, representada por lideranças como o senador Pedro Simon e o vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, que coordena a campanha de José Ivo Sartori ao governo, aponta que a vice na chapa, Marina Silva, é o nome com melhores condições para a disputa. “Se o PSB tiver categoria e fizer um trabalho bem feito, a figura da Marina, aliada a toda a mística, vai resultar em uma campanha fantástica”, afirma Simon. Questionado sobre as resistências do PMDB gaúcho ao nome da ex-senadora, lembra que, em sua primeira eleição, o ex-presidente Lula era alvo de desconfiança de parte da sociedade e lançou uma “Carta ao povo brasileiro” que aliviou a tensão. “Não me passa pela cabeça que os produtores de fumo ou os pequenos produtores vão se deixar levar por pequenas divergências”, diz o senador. 

Questionado sobre as resistências do PMDB gaúcho ao nome da ex-senadora, lembra que, em sua primeira eleição, o ex-presidente Lula era alvo de desconfiança de parte da sociedade e lançou uma “Carta ao povo brasileiro” que aliviou a tensão. “Não me passa pela cabeça que os produtores de fumo ou os pequenos produtores vão se deixar levar por pequenas divergências”, diz o senador. 

Sem apoio na bancada federal 

Mas não há consenso sobre o alinhamento automático. “Marina não tem apoio na bancada federal. Alceu Moreira, Darcísio Perondi e Osmar Terra pedirão votos para Aécio. Eliseu Padilha vai intensificar o movimento pró-Dilma/Temer”, garante um dos federais, listando sua própria preferência. “Devemos ter cuidado porque o grau de sentimentalismo do brasileiro mais a situação de comoção pode levar à escolha de uma proposta que não tem nada a ver com o futuro”, afirma Alceu Moreira. 

Moreira admite que o apoio a Campos estava muito vinculado ao perfil do candidato, concorda que o PSB terá dificuldade em encontrar substituto e faz avaliação pouco positiva de Marina. “Ela tem um pensamento político muito diferente do que queremos e sem a modernidade e a leveza que esperamos. Então, dependendo da proposta do PSB, eu, Perondi e Terra ficaremos bem mais próximos do Aécio.”

“É simples. Não tenho como votar contra produtor de leite, de frango, de suíno. Existe uma tendência forte de, dependendo da decisão do PSB, haver migração forte para o voto em Dilma e, em menor escala, para Aécio. A decisão, contudo, será do diretório. Chamaremos uma reunião para a próxima semana”, adianta o presidente estadual do PMDB, deputado Edson Brum.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Temperaturas negativas


A intensa massa de ar seco e frio, de origem polar, que cobre o território gaúcho mantém o tempo firme nesta quinta-feira e provocou um amanhecer congelante no Rio Grande do Sul, o mais frio do ano até o momento, segundo informações da MetSul Meteorologia. Em São José dos Ausentes, os termômetros marcaram -7,2ºC.

As marcas negativas atingiram diversas regiões do Estado. Em Soledade, a temperatura ficou -5,4ºC. Bom Jesus registrou -5ºC, Vacaria teve a marca -4,7°C, enquanto Canela apresentou -4,2ºC. Santa Rosa amanheceu com -3,3ºC e Farroupilha começou o dia com -3,2ºC.

A massa de origem polar se fez presente em São Marcos, onde os termômetros indicaram -3ºC. Em Antônio Prado, a temperatura foi de -2,9ºC. Lagoa Vermelha teve -2,8ºC, enquanto Santana do Livramento registrou -2,1ºC. Na Serra, Caxias amanheceu com -1,8ºC e Garibaldi começou o dia com -1,7ºC.

Passo Fundo registrou marca de -1,2ºC, assim como Bento Gonçalves. Em Santo Ângelo, os termômetros marcaram -0,8ºC, enquanto em Alegrete a temperatura chegou a -0,5ºC. Nova Bassano e Cruz Alta começaram o dia com -0,2ºC.

Previsão do tempo

Hoje o sol predomina em todo o Estado ao longo do dia, com o céu permanecendo claro na maioria das regiões, incluindo em Porto Alegre. Na Capital, os termômetros apontaram a marca de 1,4ºC e no Vale do Sinos foi registrado 0,3ºC em Canoas. Durante o dia a temperatura irá se elevar, mas à tarde também será fria em muitas áreas, com as máximas não passando dos 15ºC na grande maioria das localidades.

Na Serra, as máximas ficarão um pouco acima dos 10ºC, mas a partir do entardecer volta a esfriar novamente e a noite será gelada, antes mesmo da meia-noite, momento em que a temperatura de ficar abaixo dos 5ºC.

Nesta sexta-feira, o tempo vai continuar firme e seco na maior parte do Rio Grande do Sul. A madrugada será novamente gélida porque as mínimas irão ficar até 3ºC acima das marcas apresentadas hoje, mas mesmo assim os termômetros devem apontar temperaturas negativas. Com o enfraquecimento do ar polar, a tarde de sexta deve ter um clima ameno, com máxima acima de 15ºC, beirando os 20ºC.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Toddynho em questão


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária emitiu nesta terça-feira um comunicado esclarecendo ter convocado a fabricante PepsiCo, responsável pelo achocolatado Toddynho, para uma reunião em Brasília, às 9h desta quarta-feira. O órgão federal sustenta ter sido informado, por telefone, de que houve um ‘furo’ no tanque esterilizador durante a produção de um lote do produto, em 3 de junho, e que apesar de ter enviado para descarte a produção da véspera, do dia do acidente e da data seguinte, um dos lotes seguiu, por engano, para o mercado consumidor do Rio Grande do Sul. A empresaadmitiu que esse lote continha a bactéria Bacillus Cereus, que provoca intoxicação alimentar.

A Anvisa revelou, ainda, que a ordem de recolhimento do lote, que partiu da Vigilância Sanitária Estadual, levou em conta duas denúncias recebidas de consumidores, um deles morador de Porto Alegre e o outro de Viamão, que detectaram alteração no sabor do produto e sentiram náuseas após o consumo. Já a empresa informou que houve registro de 20 reclamações para o Serviço de Atendimento ao Cliente, sendo seis relativas a sintomas gastrointestinais provocados pelo Toddynho.

Durante a tarde desta terça, a PepsiCo informou que cerca de sete mil unidades do achocolatado – de um total de 8,9 mil suspeitas de estarem contaminadas – seguem sendo comercializadas ou já foram compradas e até consumidas em território gaúcho.

A Coordenação Geral de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre foi informada do agente contaminador e que aproximadamente duas mil unidades foram recolhidas até agora. O lote sob suspeita é o GRU L15 (intervalo de 23:04 a 23:46), com validade até 29 de novembro 2014. O órgão, porém, não encontrou o produto com a adulteração na Capital.

A bactéria identificada é capaz de produzir dois tipos de toxinas, que não são eliminadas pelo processo UHT, de preparação da bebida. Uma delas provoca vômito e a outra diarreia. A bactéria, no entanto, não sobrevive. A Vigilância Municipal espera a análise no produto, que está sendo feita pelo Laboratório Central do Estado, sem prazo para ser entregue.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Quanto mais estradas ruins, mais prejuízo com transporte - e quem paga somos nós!

O transporte rodoviário é o principal modal da matriz logística do Rio Grande do Sul. Corresponde a 85,3% da movimentação no Estado, índice superior à média nacional, que depende 68,9% das rodovias. Dos 8 mil quilômetros de rodovias estaduais, apenas 4,7 mil são pavimentados e somente 126 duplicados, segundo dados do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). No momento, 1,1 mil quilômetros estão em obras — para pavimentação ou duplicação. Nas rodovias federais, a situação é semelhante. Dos 5,3 mil quilômetros, 307 estão duplicados e 345, em obras. 

Além de colocarem em risco a vida dos motoristas, estradas sem pavimentação ou não duplicadas provocam gastos com pneu, combustível e peças. Em média, o custo repassado aos produtos transportados representa 30% do valor da mercadoria. “A solução para isso seria investimento maciço em infraestrutura. Pode até ter pedágio, desde que tenhamos estradas em condições para transitar”, afirma o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística (Setcergs), Sérgio Neto. Ele aponta que em países que investem em infraestrutura, como a China, apresentam um Produto Interno Bruto (PIB) superior ao brasileiro. No RS, o custo com transporte de cargas representa 17,3% do PIB, índice semelhante ao brasileiro. Nos Estados Unidos, encontra-se em 8% e, na Ásia, em 9,5%. 

As dificuldades não se restringem às condições de infraestrutura. Para quem vai começar um negócio, os principais problemas são a burocracia e a tributação. Após a formalização no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), a questão tributária toma tempo. “Depois da burocracia para abrir a empresa, o empreendedor tem que fazer um estudo para saber como tornar o negócio viável”, afirma Neto. 

O roubo de cargas também provoca prejuízos. Em média, as empresas de transporte gastam 12% do seu faturamento investindo em equipamento de segurança. “Isso tem forte impacto no custo logístico”, diz Neto. No Brasil, cerca de R$ 1 bilhão é roubado ao ano em mercadorias e caminhões não recuperados. No RS, são mais de R$ 100 milhões em perdas, com cerca de 300 ocorrências em 2012.

Outro ponto que impacta principalmente quem vai começar um negócio no setor logístico é a falta de motoristas qualificados para o transporte de cargas, problema que atinge também empresários já consolidados no ramo. Estima-se que, no Brasil faltem cerca de 120 mil profissionais e, no Rio Grande do Sul, em torno de 15 mil.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A partir de hoje - mudanças no transporte da capital


A partir desta segunda-feira, o corredor de ônibus da avenida Padre Cacique, em Porto Alegre, passa por manutenção. Equipes do consórcio formado pelas empresas Toniolo e Sultepa executarão a correção de trincas na via.

Devido às obras, as paradas de transporte coletivo localizadas no corredor serão deslocadas para as calçadas no mesmo ponto. Os ônibus serão desviados para a via, junto aos veículos. As principais alternativas para evitar a Padre Cacique são a Edvaldo Pereira Paiva e a Terceira Perimetral. Agentes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) intensificarão o monitoramento na região e a orientação aos usuários e motoristas.

As intervenções serão feitas em trechos localizados entre os viadutos Dom Pedro I e Abdias Nascimento (Pinheiro Borda). As placas de concreto serão refeitas pelas empresas executoras da obra, sem custo para a Prefeitura da Capítal. Em dois quilômetros da avenida, cerca de 7% do pavimento deverá ser corrigido pelo consórcio, que terá prazo de término previsto para 60 dias.

A necessidade de manutenção foi apontada durante vistoria de rotina realizada pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), que detectou pequenas falhas em alguns pontos da via. Conforme o diretor da Divisão de Obras e Serviços Especiais (Dope), engenheiro José Carlos Keim, as fissuras foram causadas por retrações no concreto. “Pode ocorrer quando o corte do concreto não acontece no tempo adequado. Fator climático também interfere na finalização de uma obra”, esclarece Keim.

Zona Norte ganha linha alimentadora de ônibus

Nesta segunda-feira entra em operação a linha alimentadora de ônibus A33-Costa e Silva / Triângulo, da Conorte, consórcio que detém a circulação de ônibus na zona Norte de Porto Alegre. A linha alimentadora, que estabelece a ligação do bairro Costa e Silva com o Terminal Triângulo, irá reforçar o atendimento no pico da manhã. Os usuários que utilizam o cartão TRI terão o benefício de integração gratuita em outra linha urbana. A A33 circulará a partir dos seguintes horários: 6h18min, 6h45min e 7h05min.

A iniciativa de implantação dessa linha alimentadora foi da área de Planejamento de Transporte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), em razão da sobrecarga de passageiros nas linhas operadoras nos bairros Costa e Silva e Porto Seco. “Estamos avaliando as demandas no transporte de ônibus em toda a cidade, para os devidos ajustes”, afirma Flávio Tomelero, gerente de Planejamento de Transporte da EPTC.

domingo, 10 de agosto de 2014

Detetive tentou matar pai de santo porque não gostou do trabalho encomendado




Não gostou do trabalho, resolveu matá-lo. Essa foi a conclusão da polícia na investigação da tentativa de homicídio sofrida pelo pai de santo Luís Carlos Kalichinolli, 57 anos, no dia 30 de julho, na Rua Doutor Barcelos, Bairro Tristeza, Zona Sul da Capital. Na quarta passada, Mário Roberto Pinto Sokolowski, 56 anos, foi preso pela 4ª DHPP na sua casa, em Gravataí. No local, foi apreendida uma pistola .380.
Luís Carlos ainda corre risco de morte. Está em coma no HPS. Apontado como autor do crime, ele nem chegou a esquentar o lugar na cadeia. Autuado em flagrante por posse ilegal de arma, pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado, mas foi indiciado pela tentativa de homicídio.
– Temos provas robustas da autoria. Ele não fez nenhuma questão de esconder o crime – afirma o delegado Rodrigo Pohlmann.

Crime premeditado

Conforme a apuração da polícia, Mário costumava se valer dos serviços do pai de santo, mas teria se desagradado depois de, supostamente, não ver atendido um último pedido. No dia do crime, voltou à casa de religião normalmente. Esperou que uma pessoa fosse atendida e em seguida entrou.
– Ele conversou por um tempo com a vítima, sacou uma pistola e atirou várias vezes. O local estava cheio – aponta o responsável pela investigação.
Mário teria saído a pé do local, mandando os frequentadores abaixarem a cabeça.
Dias depois, já com o autor reconhecido, a polícia solicitou a prisão preventiva, que foi negada pela Justiça. Um mandado de prisão temporária, porém, foi determinado e cumprido durante a semana.
O que os agentes encontraram na casa ainda poderá resultar em outros indiciamentos. De acordo com o delegado, Mário seria eletrotécnico, mas trabalharia como detetive particular e, supostamente, mantinha uma escola de detetives.
– Vamos apurar se essa atividade é regular. Encontramos na residência materiais para a confecção de documentos como carteirinhas profissionais de detetives, material usado para fazer escutas e outros aparatos – comenta o delegado Rodrigo Pohlmann.


Detetive já foi investigado

Mário não é uma figura desconhecida para a polícia. Em 2008, foi denunciado como um dos autores do atentado a bomba em uma padaria no Centro de Porto Alegre. Segundo a denúncia, como eletrotécnico, ele teria fornecido o material para a explosão. Denunciado por tentativa de homicídio, acabou absolvido no ano seguinte.
Em 2007, já havia se envolvido em outra tentativa de homicídio, contra dois policiais. Na ocasião, era investigado pelos investigadores de Homicídios da Capital e, durante o cumprimento de um mandado de busca em sua casa, em Gravataí, teria recebido os agentes a tiros. No local, foram apreendidas sete armas.
Ainda assim, foi absolvido das acusações.

sábado, 9 de agosto de 2014

Moradores de rua rejeitam ajuda!



Em frente a um dos cartões postais da Capital, a cena passava despercebida pela maioria apressada. Tornou-se tão comum que virou paisagem. Há anos, Porto Alegre tropeça na população de rua sem uma política eficiente para reduzi-la. O último levantamento da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), de 2011, mostra aumento de 12% em relação ao de 2007, para um total de 1.347. A Fasc pretende dar início a novo censo neste ano.

A primeira contagem, feita pela Fasc em parceria com pesquisadores da UFRGS, coincide com o início de processo até hoje em discussão na Justiça. A Promotoria de Defesa dos Direitos Humanos do Ministério Público pediu ampliação da rede de acolhimento, que tem pouco mais de 600 vagas, metade em rede conveniada com o município. Em dezembro de 2013, a juíza Rosana Broglio Garbin deu sentença obrigando o município a criar, em até três anos, 300 vagas com prioridade a idosos e pacientes em recuperação de problemas de saúde ou dependência de álcool e drogas. Em junho passado, o município recorreu ao Tribunal de Justiça.

Para o sociólogo Ivaldo Gehlen, um dos pesquisadores da UFRGS que participou da elaboração dos dois censos da população de rua em Porto Alegre, abrir mais vagas não resolve a questão.

– O abrigo é estruturado pela nossa maneira de pensar e de querer que eles vivam. Essas pessoas desenvolveram uma espécie de identidade de rua. Modificar esse perfil é um processo lento e progressivo, e as políticas não preveem esse ritmo, a sociedade quer respostas rápidas – diz Gehlen.

Nas abordagens da Fasc, 64% das pessoas em situação de rua se recusam a ir para um albergue. No inverno, a aceitação chega perto de 40%, mas a maioria ainda prefere a rua a um abrigo para não se separar do pouco que tem: um colchão, um carrinho de supermercado, um fogareiro ou um vira-lata.

O guardador de carros Fábio Dutra, por exemplo, montou um pequeno lar sob o viaduto da Avenida Silva Só com mobília recolhida do lixo e alguns objetos recebidos como doação. Aos 27 anos, desde os nove morando na rua, Dutra adotou a cadela Peluda para lhe fazer companhia. Mesmo a oferta de duas refeições, banho, roupa limpa e uma cama com três cobertores para passar a noite não entusiasma Dutra. Teme que levem seus apetrechos.

– Infelizmente, nem sempre temos como transportar todos os pertences no veículo da Fasc e nem teríamos espaço para colocar tudo no guarda-volumes – explica o coordenador do Albergue Municipal, Franque Hendler.

Os cães, acrescenta, ficam do lado de fora, presos à grade ou esperando o dono voltar. Não há previsão de investimentos para adequar a estrutura.

Para solicitar abordagens à Fasc, use os fones 3221-8578, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 18h.3346-3238, à noite e aos finais de semana.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Festival de Cinema de Gramado terá abertura com homenagem a José Wilker

Na coletiva de lançamento da edição deste ano do Festival de Gramado, no mês passado, em Porto Alegre, Rubens Ewald Filho, o mais conhecido do trio de curadores do evento (os outros são Marcos Santuário e Eva Piwowarski), disse que o cinema brasileiro está batendo um bolão e que a curadoria conseguiu fazer a melhor seleção dos últimos anos.

"Fomos muito rigorosos em nossos critérios de avaliação, mas, se tivéssemos espaço, teríamos mais quatro ou cinco filmes em competição, sem comprometer a qualidade", acrescentou. A partir desta sexta-feira até o sábado da semana que vem , dia 16, será possível conferir o que garante Ewald Filho.

Foram quase 800 inscritos para as mostras competitivas, e deles foram selecionados oito longas brasileiros, cinco latinos, 15 curtas nacionais e 17 gaúchos que concorrem ao Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema. A novidade desse 42.º Festival de Gramado é que, a par dos tradicionais Kikitos, os vencedores vão receber também prêmios em dinheiro, no valor de R$ 275 mil. Só para efeito de comparação, o recente Festival de Paulínia distribuiu R$ 800 mil em prêmios, o mesmo valor que terá a premiação de Brasília, no mês que vem.

O festival começa com uma homenagem a seu ex-curador, o ator José Wilker (substituído pela argentina Eva Piwowarski no triunvirato que faz a seleção). O longa de abertura, Isolados, um suspense de Tomas Portella, traz o ator em sua última interpretação, como psiquiatra, ao lado de Bruno Gagliasso e Regiane Alves. Na sequência, começa a competição brasileira com A Despedida, de Marcelo Galvão, com Nelson Xavier como idoso que se dá de presente uma noite de amor com mulher mais jovem, a deslumbrante Juliana Paes.

Gramado, que nunca negligenciou o valor do tapete vermelho para atrair público, terá dois primeiros dias bem intensos. Depois da bela Juliana, sábado será a vez do mais internacional dos astros brasileiros, Rodrigo Santoro, receber o Troféu Cidade de Gramado.

A competição brasileira é integrada também por outros sete títulos -" Infância", de Domingos Oliveira, com Fernanda Montenegro como matriarca no Rio dos anos 1950; "Sinfonia da Necrópole", de Juliana Rojas, mistura de comédias, musical e terror (os dois filmes também haviam sido selecionados por Ewald Filho para Paulínia); "Estrada 47", de Vicente Ferraz, com Daniel Oliveira, sobre a participação da FEB na guerra da Itália; "A Luneta do Tempo", de Alceu Valença, com Irandhy Santos e Hermila Guedes como Lampião e Maria Bonita; "O Segredo dos Diamantes", aventura infantojuvenil de Helvécio Ratton; "Os Senhores da Guerra, de Tabajara Ruas, adaptado do romance de José Antônio Severo; e o documentário "Esse Viver Ninguém Me Tira", de Caco Ciocler, que resgata a história de Aracy Guimarães Rosa, única brasileira a ter seu nome no Jardim dos Justos, em Jerusalém, por seu trabalho no salvamento de judeus, durante o nazismo.

Gramado mantém a tradição e outorga três importantes prêmios de carreira - O Troféu Oscarito, para o ator e diretor Flávio Migliaccio; o Troféu Eduardo Abelim, para o fotógrafo e diretor Walter Carvalho; e o Kikito de Cristal, para uma
personalidade atuante no cinema latino-americano e que vai destacar o ator franco-argentino Jean-Pierre Noher, atualmente no elenco da novela "O Rebu".

O júri dos longas brasileiros é integrado, entre outros, pelo crítico Enéas de Souza e o cineasta César Charlone. No júri dos latinos está o ator Antônio Pitanga, de obras viscerais do Cinema Novo.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Incêndio atinge hospital em São Francisco de Assis

Um incêndio atingiu na madrugada desta quinta-feira o Hospital Santo Antônio, em São Francisco de Assis, na região central do Estado. Segundo informações preliminares, um dos pacientes da ala de dependentes químicos teria ateado fogo em colchão, provocando o início das chamas. O prédio fica localizado na rua 13 de janeiro.

Como São Francisco de Assis não conta com Corpo de Bombeiros, a Brigada Militar (BM) foi acionada e conseguiu controlar as chamas, impedindo que o fogo chegasse a outros setores do prédio. O incêndio teria começado em um quarto destinado a pacientes alcoólatras.

A administradora do hospital, Elsa Piovesan, afirmou que no quarto onde o incêndio começou estavam três pacientes. Ela não soube dizer se as chamas foram provocadas de forma proposital ou acidental.

No combate ao fogo, os policiais militares (PMs) e alguns funcionários usaram extintores. Os PMs inalaram fumaça e foram encaminhados para atendimento no Hospital de Caridade, em Santa Maria. O Santo Antônio conta atualmente com 60 leitos.